Sopro de novidade

Entra ano, sai ano e as pessoas seguem em busca de realizações, amores, trabalho e… Surpresas. Independente da capacidade de organização de cada um ou da forma como programa a sua vida, é fato que, vez ou outra, contamos com uma visita inesperada que pode, em segundos, alterar realidades tão ingenuamente construídas. Talvez seja por saber que, em algum momento, seremos surpreendidos por um sopro de novidade, que seguimos acreditando e aplicando regras e normas vida afora.

A surpresa traz uma quebra de rotina, uma transgressão que nos mostra que nem sempre estamos no controle. O que pode ser delicioso para alguns e um pesadelo para aqueles que estão acostumados a seguir por estradas retas, com poucas curvas e sem atalhos, de preferência.

Mas, como tudo na vida pode ser bom ou ruim, não seria diferente com as novidades. Porém, isso não quer dizer que ser surpreendido negativamente, esteja nos planos de quem quer que seja. Surpresas desagradáveis são inevitáveis, mas nem sempre são permanentes. Ser pego de surpresa em situações que causem algum mal-estar, acaba conferindo um jogo de cintura capaz de nos fortalecer todas as vezes que o inesperado fizer uma surpresa.

Dessa forma, é possível, não somente, identificar as maravilhas contidas em uma boa surpresa, como também, querer a sua presença constante em nosso cotidiano. Talvez por isso, todas as vezes que desejamos algo inusitado, esperamos sentir uma descarga de energia que, inevitavelmente, terminará em sorrisos bobos e corações acelerados.

Porém, via de regra, transformamos, ou tentando transformar, surpresa em regra. Mas o surpreendente jamais será aquilo que esperamos que aconteça. O nome disso é expectativa. Surpresa é um atalho não programado, que nos conduz por caminhos absolutamente inesperados. Levando a destinos completamente desconhecidos. É aí que reside o poder da novidade.

As surpresas possibilitam um contato interessante com o novo. A cada nova situação, que foge do nosso roteiro prévio, temos a chance de conhecer diferentes nuances de nós mesmos e que não costumam aparecer com frequência. Então, à medida que somos surpreendidos, demonstramos novas reações e sentimentos que, ao longo do tempo, ajudarão a formar a nossa personalidade.

Somos formados pela dobradinha racionalidade & surpresa. Uma delas nos mostra que, para conseguir o que se deseja, é necessário pensar, programar, calcular riscos para, então, agir. Já a outra, chega como um furacão, derrubando nossos castelos de cartas, pretensamente organizados, mostrando que os caminhos entre o desejo e a realização são múltiplos e nem sempre fáceis de enxergar.

O que nos faz refletir sobre a forma como conduzimos a vida. Regras em excesso podem engessar nosso olhar, possibilitando apenas a mesma perspectiva sobre todas as coisas. Ao passo que, ser errático e desafiar o acaso o tempo todo pode gerar uma dependência por adrenalina que, certamente, excluirá do nosso campo de visão, a beleza pragmática do cotidiano.

O dia a dia não precisa ser enfadonho ou desinteressante, ao contrário. É possível incluir pequenas surpresas ao nosso cotidiano, sim. Mudar itinerários, ir ao cinema em outros bairros, permitir-se momentos de contemplação sem preocupações ou sair de casa em uma manhã qualquer, sem planejamentos, apenas com a vontade de aproveitar tudo o que for possível, nos dão a chance de experimentar situações simples, porém, repletas de novidades. Mas, para que isso aconteça, é preciso estar disponível para sentir esses sopros de novidade.

 

 

1 pensamento em “Sopro de novidade”

  1. Mindfulness. É do que vc fala no último parágrafo. Importantíssimo e faz um bem enorme! Dar atenção ao momento, mesmo que ao executar uma tarefa tão cotidiana pode trazer uma sensação de surpresa também, por percebermos pequenas coisas que não vemos quando estamos no automático…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *