O que é que está acontecendo?

            Essa pergunta nunca teve tantas possibilidades de uso como agora, em tempos em que nada parece fazer qualquer sentido. Quem sonharia em ter a sua vida virada de pernas para o ar num estalar de dedos? Pandemia, ameaça de guerra, isolamento social, milhares de mortes inesperadas, home office, uso de máscara, viver no mundo virtual… tudo de uma hora para outra, como se estivéssemos em um filme surrealista, com roteiro de gosto duvidoso. Diante disso, quem seria capaz de ter a exata resposta para o que é que está acontecendo?

            Tudo bem que tornou-se redundante falar sobre este assunto. E é por isso que devemos falar ainda mais. Não é possível ignorar os fatos quando somos todos afetados por eles. A realidade engatou uma marcha ré enquanto estávamos todos em uma pista de alta velocidade. Do nada! O resultado disso é uma capotagem espetacular que se arrasta por longos dez meses e que parece não ter previsão de desaceleração. E nós estamos dentro desse carro, enxergando a vida passar em imagens sem definição.

            Então, como tentar responder a nossa pergunta inicial? Antes de qualquer resposta possível, é preciso perceber que estamos todos diante de uma enorme tela. E que não há distância entre nós e a pintura, que assegure a visão global da imagem. Logo, enxergamos apenas uma pincelada desta grande tela que, isolada, não passa de uma marca de tinta sem sentido. Precisamos nos afastar desta tela pixelada para que suas formas ganhem definição e, a partir disso, seja possível enxergar o que de fato está acontecendo conosco.

            Isso significa que ficaremos sem respostas até que, enfim, seja possível ver os detalhes daquilo que nos tira o sono e a paz? Talvez. Mas, ainda assim é possível mudar as regras desse jogo. Entender que é preciso se manter vivo é o primeiro passo é o mais importante. Apenas com a percepção de que nada é mais urgente do que preservar vidas, é que vamos começar a, enfim, aumentar a nitidez sobre o drama que nos envolve. É isso que nos levará a compreender que a manutenção das nossas existências, só será possível se for uma força-tarefa coletiva.

             Afinal, a existência precisa ser compartilhada para valer a pena. Passos atrás podem ser o início do fim desse turbilhão sem sentido que nos tragou sem cerimônias. Parece contraditório pedir cautela em um momento onde a pressa parece ser mais apropriada. Mas, pense comigo… Estamos vivenciando a história sendo escrita em tempo real. Mas essa proximidade não nos deixa entender o real sentido do que estamos vivendo. Então, por que não tirar o pé do acelerador, acalmar o coração, abrir os olhos e enxergar, sem afobação, tudo e todos que nos rodeiam? Por que não passar a dar valor ao que é, de fato, importante? Por que não aceitar que a preciosidade mora nas coisas simples?

               Em tempos onde nada parece fazer sentido, encontrar as respostas para essas perguntas pode ser a nossa grande chance de começar a, enfim, entender o que é que está nos acontecendo.

2 comentários em “O que é que está acontecendo?”

  1. Estamos todos sem respostas para um futuro incerto. Mto bem colocado suas questões. Hoje nossa única preocupação é se manter vivo.

  2. Verdade.
    Precisamos mesmo de cautela e reflexão sobre o que este momento nos trará de mudanças reais. Espero que a maioria reflita..🙏☯️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *