O desamor é tóxico

A vida tem se tornado, em linhas gerais, um desafio que vai muito além da simplicidade dos sonhos, dos desejos materiais ou da conquista de um espaço para chamar de seu. Parece que viver não é mais um ato natural que nos leva a acordar todas as manhãs, tocar a vida e fechar os olhos a noite para que tudo recomece. Parece que nos esquecemos como é viver de forma leve. É como se estivéssemos infectados por uma indiferença que nos impede, inclusive, de perceber como o desamor é tóxico.

Muitas são as mazelas que somos obrigados a enfrentar, o que nos leva a pôr em xeque, valores que sempre foram inquestionáveis, como a nossa capacidade de amar, por exemplo. Poucas coisas são tão devastadoras quanto duvidar do amor e sua força transformadora. É claro que isso gera efeitos colaterais que se desdobram como ondas gigantes, com tamanhos e intensidades diferentes, mas que, inevitavelmente, alcançam a todos.

Entender qual é a gênese desse movimento que prega o descaso e não o cuidado, a descrença no lugar da empatia e o ódio ao invés do amor, é o maior desafio em tempos tão difíceis. O mundo inteiro assiste, sem reações, ao levante de um mal que busca usurpar um protagonismo a qualquer custo. Achar que vivemos uma fase, é a chancela que a maldade precisa para espalhar-se como metástases de um câncer intratável. É hora de extirpar esse mal.

Não é mais possível permitir que o mal e todos os seus disfarces, continuem nos soterrando, humilhando, afogando, desabrigando e adoecendo. Não é possível que continuemos a ser alvejados por balas que saem de armas de inimigos infiltrados em nosso cotidiano, sem levantar suspeitas. O ritmo de perdas e danos provocados pelo desamor que se estabelece como nova ordem, é tão avassalador, que impõe a todos um choro constante, onde o nosso maior castigo é, justamente, não poder decidir o momento em que devemos parar de chorar.

Apesar de sentir e perceber que nos tornamos reféns do ódio escolhido por muitos, há inúmeras formas de minar sua força. Desamor é amargura. Ninguém se sustenta por muito tempo provando, exclusivamente, o amargo sabor do ódio, da inveja, do racismo e, muito menos, consegue manter-se respirando numa atmosfera contaminada pela indiferença.

É necessário e urgente que todos percebam a fonte do mal que os torna, inconscientemente, algozes uns dos outros. Precisamos de doçura, luz, ar puro e paz para tocar a vida. É a luz, não a escuridão, a responsável pelo retorno do equilíbrio, tão ignorado nos últimos tempos. É na luz que os olhos brilham. É na luz que a sinceridade se expressa. É na luz onde o amor se encontra.

2 comentários em “O desamor é tóxico”

  1. Quando desejei um maravilhoso domingo de luz e amor, no grupo do WhatsApp, não imaginei que pudesse haver tanta correspondência com o desfecho do texto. E mais uma vez venho aqui e transbordo de felicidade. Feliz pq vejo uma mudança considerável no tom nas suas palavras que me soam, agora, muito mais confortáveis e coerentes.

    É difícil mesmo, dentre tantos acontecimentos aterrorizantes, não se deixar abater pela tristeza e desesperança. Difícil manter-se imune. Difícil não ter os olhos embebidos em lágrimas repetidas vezes. Difícil não sentir o coração apertado e um embrulho no estômago. Eu mesma sofri esses efeitos perturbadores que parecem sugar tudo de bom que existe na gente…. Entretanto, entrar e permanecer nessa sintonia não me parece a postura mais correta (pelo menos aos que não fazem parte dela). Entregar-se a essa energia e a esses fatos é exatamente o objetivo desse mal que vc refere. Escraviza a gente no oceano de tragédias incontáveis e sentimentos densos veiculados por mídias que enriquecem com isso às nossas custas. E todo esse maremoto, essa “onda gigante”, é de fato a perturbação causada pela entrada e acomodação da luz na escuridão.

    É por isso que venho mantendo meu olhar positivo quanto a tudo isso. Não é indiferença ou egoísmo. É fortalecimento. De quê? De paz interior, luz e amor. Pra quê? Pra expandir e curar e fortalecer e equilibrar ambientes e pessoas a minha volta.

    Para todos que chegaram nesse estágio: abasteçam-se, brilhem suas luzes e expandam todo amor que couber em seus corações! E se toda essa perturbação é a luz entrando e se estabelecendo, talvez seja providente iluminar e emanar amor e paz também às fontes dessa escuridão. Visando cortar o mal pela raiz. Literalmente.

    Paz, amor e luz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *