Ao mestre, com respeito

Dia do mestre. Essa data repete-se como um ritual anual, que traz uma visibilidade instantânea para uma classe trabalhadora que sustenta os pilares de uma civilização. Não, não é exagero dizer isso. Salas de aula, são templos disponíveis para receber todos aqueles interessados no saber. E, para isso, é necessária a presença de um regente: o professor.

Escolas podem ser templos do saber, mas professores não são sacerdotes ou filantropos. Professores são profissionais. E merecem respeito. Celebrar o seu dia é importante, mas, esquecer sua existência ao longo dos outros trezentos e sessenta e quatro dias, é cruel. Não, os profissionais da educação não são pobres coitados em busca de holofotes cínicos ou de piedade falsa. Queremos e merecemos reconhecimento profissional, condições adequadas de trabalho e visibilidade.

Neste dia, é possível constatar que os professores estão fadados ao esquecimento. Estamos desaparecendo. Os alunos, os pais, a comunidade e as autoridades vão, pouco a pouco, minimizando a figura responsável pela formação daqueles que irão, independentemente da área de atuação, desenvolver o mundo onde vivem. É como se colocássemos o professor atrás de uma névoa densa, onde é possível enxergar apenas um contorno difuso, mas, sem a nitidez necessária para dar a devida importância ao seu ofício.

Somos, de fato, os pilares de qualquer sociedade que se pretende séria, organizada e justa. Salários de fome, “saunas” de aula e desrespeito por todos os lados, só podem ser combatidos de uma forma: dizendo basta! Alunos e professores, reivindiquem uma educação de qualidade, mas façam isso ocupando os espaços necessários e, principalmente, façam isso votando certo.

Professores não são vítimas, assim como, não são abnegados que trabalham por amor e vocação. Professores não precisam da reverência de imperadores e, sim, de reconhecimento real, afinal, de oportunismo leviano e eleitoreiro, já estamos fartos. Não somos santos e nem melhores que ninguém. Mas somos, sim, essenciais.

Médicos salvam nosso corpo físico, engenheiros constroem as cidades, advogados e suas leis mantém a nossa organização social, mas, nenhum destes profissionais é capaz de promover uma transformação diária na vida de tantos. Professores, apesar de responsáveis pela formação de todos os outros profissionais, não são agraciados com aquilo que é comum aos demais trabalhadores que formam: o reconhecimento.

Precisamos entender esse paradoxo que nos faz amar os professores, a ponto de celebrar um dia só seu e, ao mesmo tempo, despreza-los todas as vezes em que lutam por melhores condições de trabalho. Não há melhor reconhecimento do que ver o sucesso pessoal e profissional de um estudante. Não há glória maior que ouvir de um ex-aluno, o quanto fomos importantes em sua formação. Essa, talvez, seja uma das poucas razões que impedem que desapareçamos na névoa do descaso e do esquecimento. Para que professores não se tornem invisíveis, a sociedade deve reconhece-los e valoriza-los. Para que isso aconteça, não é preciso muito. É necessário apenas… respeito.

6 pensamentos em “Ao mestre, com respeito”

  1. Pra mim, não tem mais muito a ser comentado aqui. Tudo que foi dito, concordo. Venho de uma família de origem humilde de ambos os lados onde a educação sempre teve seu devido valor e foi sinônimo de melhoria de vida pra toda uma geração. Aos poucos, se tornar professor virou tradição. Se tem algo que sempre tive a todos os meus professores foi respeito. Admiração também, já que resolvi trilhar os mesmos caminhos do meu pai (e professor até hoje) no ensino de Ciências/Biologia.
    Sendo assim, só tenho a te agradecer por todo incentivo, por toda ajuda, todas as conversas e todas as discussões, pela paciência com meu temperamento meio bipolar (a sonsinha que do nada dá uns gritos), por todo direcionamento e ideias aqui e fora daqui. Vc foi o responsável por eu não passar invisível pela faculdade. Vc foi o professor que chegou lá pra me tirar do limbo onde eu sabia mais ou menos o que eu queria alí mas não tinha ninguém com quem me identificasse, ninguém que me trouxesse algo novo e empolgante. Até que o Universo decidiu resolver meu problema. kkkkkkkk
    Gratidão eterna!

    1. O que dizer diante dessas palavras? Nada além de agradecimento. Tati, saiba que eu é que sou salvo, todas as vezes em que tenho a sorte de encontrar com boas pessoas ao longo dessa difícil caminhada. Muito obrigado pela parceria!

  2. Lindo texto, Tio Prof.
    O professor tem um papel tão fundamental na vida das pessoas. Pro bem e pro mal!
    Meus dois irmãos resolveram prestar vestibular pra Geografia após terem estudado com um professor que admiravam muito. E como eles, vi tanta gente que resolveu seguir o caminho de um professor que os inspirava. Isso é poderoso demais!
    E pra vc, feliz dia do professor atrasado. 🙂 não, o professor não era atrasado, eu que estou dando feliz dia dois dias depois. Hehe.
    Vc fez uma enorme diferenca pra minha turma inteira. Vc sabe disso, né? E a gente tb sabe que nós fomos o seu primeiro experimento 🙂

    1. Obrigado pelos parabéns, querida Luizalessa. Tantos anos depois, estamos nós aqui, ainda juntos. Posso dizer, sem medo de errar, que foram os meninos daquela turma onde eu entrei pela primeira vez, sem saber bem o que fazer, já que não era tão mais velho que eles, que me transformaram em professor. Devo isso a vocês que foram, além do meu primeiro experimento, um dos meus melhores resultados.
      Bjo do tio prof.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *